Uma inovação no aspecto da aprendizagem, é o método da sala de aula invertida, que consiste em, como o nome supõe, inverter o cenário da educação tradicional. Assim, o professor deixa seu lugar de mestre para inserir o aluno como protagonista de sua própria aprendizagem.

Na sala de aula invertida, os processos de transmissão e assimilação do conhecimento mudam de ordem. Se, antes, o aluno ia para a sala de aula às cegas conhecer um assunto novo para depois se aprofundar em casa, ele passa a conhecer os assuntos previamente. Isso se dá, inicialmente, por meio da educação à distância para que depois os assuntos tratados sejam aprofundados em sala de aula, com o professor.

Modelo Tradicional X Sala de aula invertida

O método da educação tradicional, que tem o professor como protagonista da transmissão do conhecimento em sala de aula, é lido como obsoleto por muitos pesquisadores de educação. Com vistas nisso há duas décadas, desenvolveu-se, então, o método de sala de aula invertida.

Comparando os dois modelos, a sala de aula invertida passa a ter atividades que não são comuns no modelo tradicional: debates, projetos, simulação, trabalhos em grupos e solução de problemas. Para além disso, o estudante torna-se um agente ativo.

Cabe salientar que o modelo tradicional não pode ser considerado um fracasso, pois não é disso que se trata. O ensino no modelo tradicional continua em vigência. A questão aberta é que existem, paralelamente, outras possibilidades de educar com eficiência. Dessa maneira, em função da falta de tempo que a sala de aula acaba impondo, inverter o método tem demonstrado ser uma forma eficiente de ensinar.

Essa é uma nova metodologia educacional que rompe barreiras e carrega consigo a bagagem da globalização e, por consequência, da tecnologia. Os estudantes vivem em um mundo digital, de interação e colaboração. E a sala de aula invertida propõe que, com essas ferramentas, que fazem parte de seus cotidianos, eles possam absorver o máximo de conhecimento possível.

Vantagens da sala de aula invertida:

• Autonomia do aluno

Se antes o aluno era reduzido a um espectador, com um espaço para tirar dúvidas, agora ele é uma pessoa ativa de um modelo de educação não linear.

• Otimização do tempo

A sala de aula invertida propõe um melhor aproveitamento do tempo. Isso porque os assuntos já são de conhecimento dos alunos e cabe ao professor aprofundá-lo por meio de atividades em grupo, dentre outras formas.

• Diversidade do material didático

A tecnologia trouxe inovações para pesquisa e materiais para os alunos. É possível transmitir o aprendizado por meio de livros digitais, games e plataformas interativas. Com um material diverso, a colaboração entre os alunos também pode ser incentivada no método da sala de aula invertida.

Faz-se, então, propósito dessa modalidade aproximar o mundo tecnológico vivido pelas pessoas atualmente. Aplicativos, videochamadas e dispositivos móveis. Existe uma infinidade de possibilidades de conectar pessoas no mundo todo.

Aproveitando, portanto, dessa conectividade é que a sala de aula invertida se insere. O ensino à distância para graduação, pós-graduação e outros cursos já é bastante maduro, no Brasil. Por conseguinte, o saber aliar essas duas formas de aprendizado tem dado mostras de ser um caminho eficiente para ampliar os horizontes das instituições de ensino no País.

Como propor o método da sala de aula invertida

As quatro ações fundamentais que instituições precisam tomar para o sucesso do método da sala de aula invertida, conforme pesquisadores são:

1) Conduzir um bom planejamento prévio para cada unidade do aprendizado;
2) Produzir os materiais que vão servir de pesquisa aos alunos antes das aulas, no ambiente externo;
3) Criar ferramentas para o engajamento entre os estudantes, para que eles cumpram sua função de agentes ativos de seu próprio aprendizado;
4) Trabalhar junto ao corpo docente para que mudem sua forma de atuação, como transmissores de conhecimento em momentos anteriores à aula e assimiladores durante os encontros presenciais.

As instituições de ensino que visam modernizar seus métodos de ensino precisam investir na capacitação dos professores. Esse é um modelo relativamente recente no Brasil e trabalha com a descentralização do aprendizado. Assim, o provedor deixa de ser o professor. Ao mesmo tempo ele ganha ainda mais importância, como alguém que vai sanar as dúvidas mais profundas dos alunos.

Uma implementação gradual pode ser um bom caminho. Iniciar com algumas disciplinas, depois de conversar com os alunos e prepará-los é o melhor caminho. Pode ser que nem todos comprem a ideia, mas aos poucos devem se acostumar.

O método da sala de aula invertida melhora a assimilação do conhecimento pelos alunos em relação ao modo tradicional de ensino. Isso será sentido pelos estudantes e os motivará.

A ruptura com o modelo tradicional

O preparo dos conteúdos ganha ainda mais importância na sala de aula invertida, visto que a primeira fase, que antes era em sala de aula calcada em um espaço físico, agora se faz num espaço online. O corpo docente, assim,precisa estar preparado para monitorar o desempenho dos alunos fora da classe, além de fornecer feedback e ajuda quando necessário. Para isso, a proatividade e a colaboração devem andar lado a lado.

Os encontros presenciais precisam ser aproveitados da maneira mais profunda possível. Desse modo, na sala de aula serão feitas atividades de fixação, trabalhos em grupo e provas, o espaço será dado aos alunos para que estes possam tirar suas dúvidas e assimilar de vez o conteúdo.

Para tanto, o professor deve fortalecer os laços e valorizar este encontro com seus alunos. Além disso, identificar a dificuldade de cada estudante.

A interação é um dos objetivos do método de sala de aula invertida. Isso cabe ao professor inserir no material que será disponibilizado online. Existe liberdade para explorar as plataformas, mas é preciso cautela para que os alunos se acostumem.

Apresentar vídeos é uma boa forma de começar, passando aos estudantes novos passos a serem feitos. Dessa forma, eles devem se engajar mais e aproveitar mais do tempo de estudo.

A ruptura do modelo educacional é para alunos, professores e para as instituições de ensino como um todo. Deve ser aplicada como forma de melhorar os níveis de aprendizado.

Aplicação do novo método

O método da sala de aula invertida demonstrou ser assertivo para diversas universidades dos Estados Unidos, assim como na Espanha, na Austrália e no Chile. Exige coragem para ser implementada. O Brasil parece, igualmente, remar no mesmo sentido, buscando modernização e novos métodos para atrelar o ensino à distância, com a sala de aula.

O ensino superior, por meio deste método, encontrou formas de engajar melhor os alunos, fazendo com que eles frequentem mais as aulas e, desse modo, com que eles absorvam mais conteúdos. Diante disso, a possibilidade de romper com o modelo tradicional de educação trouxe independência aos estudantes. O que parece ser uma ótima novidade.

Conheça nossos cursos e nossa metodologia. Venha aprender conosco!

Categorias: Educação

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.