Hoje Goiânia completa 87 anos. Uma “mocinha” comparada a outras capitais do país. E em homenagem a seu aniversário, rememoraremos sua História, por meio de seus edifícios. O que pulsa daqueles tempos de seu nascimento e marca o traço urbano da capital.

Por iniciativa de Pedro Ludovico Teixeira, Goiânia foi planejada e construída para ser a capital de Goiás. O principal argumento para tal feito foi o da modernização do Estado, processo que casava bem com o incentivo de ocupação do Centro-Oeste, durante o governo de Getúlio Vargas.

Desse modo, para superar a antiga capital, na época, chamada de Vilas Boas, Goiânia deveria ter integração e infraestrutura modernas. Assim, Corrêa Lima foi quem criou o projeto da cidade, enquanto Armando de Godoy criou o do Plano Diretor.

O Centro foi o palco dessa criação. Então, de início, três grandes avenidas foram abertas. São elas, a Goiás, a Araguaia e a Tocantins, de modo que todas corressem simultaneamente para o mesmo ponto, a Praça Cívica, onde se localiza o Palácio das Esmeraldas, sede do governo estadual.

Planejada para 50 mil habitantes, Goiânia é a segunda cidade mais populosa do Centro-Oeste. Ficando atrás, apenas, de Brasília, capital federal. E pra tanta gente é bom haja lugares para momentos de conhecimento, descontração e cultura. Então, listamos alguns pontos turísticos de Goiânia que são ótimos para todo goiano e forasteiro conhecer.

1. Coreto

Foto do Coreto, no Centro de Goiânia, por Adelano Lázaro.
Foto do Coreto, no Centro de Goiânia, por Adelano Lázaro.

Localizado na Praça Cívica, o coreto faz parte importante da história da construção de Goiânia. O prédio foi inaugurado em 1942, data da inauguração da Capital e, desde então, foi palco de inúmeras manifestações políticas, artísticas e culturais. Tombado, em 2003, como patrimônio histórico e parte do acervo arquitetônico e urbanístico Art Déco de Goiânia pelo Iphan, o Coreto foi restaurado pelo Iphan e entregue em maio deste ano. O objetivo foi a recuperação integral de sua estrutura e a valorização do estilo Art Déco.  (Fonte: Iphan.)

2. Teatro Goiânia

Foto de Eugenio Hansen do Teatro Goiânia, no Centro de Goiânia.
Foto de Eugenio Hansen do Teatro Goiânia, no Centro de Goiânia.

O Teatro Goiânia foi inaugurado em 12 de junho de 1942. O prédio foi palco do Batismo Cultural de Goiânia, com a entrega da chave da cidade ao primeiro prefeito Venerando de Freitas, além de inúmeros eventos culturais. O Teatro Goiânia é o espaço cultural mais tradicional da capital, com estilo Art Decó. Naquela época seu nome era Cine-Teatro Goiânia.

 Em 1976, o prédio passou por sua primeira reforma. Em 1998, passou por sua segunda restauração. Já no ano de 1982, o edifício foi tombado pelo Estado e recebeu o nome de “Centro Cultural João Bennio”. (Fonte: Iphan.)

3. Torre do Relógio

Foto de Adelano Lázaro da Torre do Relógio.
Foto de Adelano Lázaro da Torre do Relógio no Centro de Goiânia.

Também inaugurada em 1942, a Torre do Relógio é um dos mais antigos pontos de referência na cidade. O monumento é outro importante destaque da nossa Art Déco e está localizado na Avenida Goiás, próximo à Praça Cívica. Tombado pelo Iphan, em 2003, o edifício teve sua primeira obra em 1984. Neste ano, o Iphan realizou uma obra de conservação no monumento. (Fonte: Iphan.)

4. Museu Zoroastro Artiaga

Foto de Adelano Lázaro do Museu Zoroastro Artiaga no setor Central.
Foto de Adelano Lázaro do Museu Zoroastro Artiaga no setor Central, Goiânia.

Localizado na Praça Cívica, o edifício foi construído em 1942/43, em estilo Art Déco. O museu foi fundado, em 1946, pelo professor Zoroastro Artiaga. Daí seu nome. O museu contém mais de 4 mil peças referentes à cultura e à história de Goiás. De 1999 a 2003, o museu passou por intensa reorganização em seu modo de funcionamento.

Assim, conforme a Secretaria de Estado da Educação, “os circuitos da nova museografia descrevem: a história da terra, formação geopolítica de Goiás, fósseis, pré-história, a paisagem natural com uma coleção de taxidermia, arqueologia e mineração colonial, e outros aspectos de ocupação e transformação do território goiano”. Além disso, há na curadoria peças referentes à “etnologia indígena, navegação do Araguaia, arte sacra, folclore, imprensa goiana, cinema e fotografia, mineralogia e artes industriais”. (Fonte: Secretaria de Estado da Educação)

5. Antigo Prédio da Estação Ferroviária de Goiânia

Foto por Adelano Lázaro do Antigo Prédio da Estação Ferroviária.
Foto por Adelano Lázaro do Antigo Prédio da Estação Ferroviária, Centro de Goiânia.

O Antigo Prédio da Estação Ferroviária de Goiânia é um dos mais importantes edifícios do acervo arquitetônico e urbanístico Art Déco de Goiânia, tendo sido tombada em 2002 pelo Iphan. Localizado no Setor Central, na atual Praça do Trabalhador, a Antiga Estação foi inaugurada em 1950 e recebia trens tanto de cargas quanto de passageiros.

Tendo funcionado até a década de 1980, o prédio da Antiga Estação foi completamente restaurado e entregue na metade do ano passado. Além da recuperação total da estrutura, houve também uma nova disposição dos espaços, a locomotiva – Maria Fumaça – foi restaurada e exposta na plataforma de embarque, o relógio da torre, outro símbolo Art Déco- foi recuperado, retomando seu funcionamento. Houve recuperação também de dois afrescos, de Frei Nazareno Confaloni, pintor e muralista, pioneiro da arte moderna. A ideia é promover a atração de público para o local.
(Fonte: Iphan.)

6. Mercado da 74

Foto por Ycaro Gouveia Ribeiro do Mercado da rua 74, no Centro de Goiânia.
Foto por Ycaro Gouveia Ribeiro do Mercado da rua 74, no Centro de Goiânia.

O Mercado Bairro Popular foi construído em 1952 e entregue ao povo em 1953, na Rua 74, no centro de Goiânia, e justamente por isso ficou conhecido como Mercado da 74.  Desde 2007, o Mercado da 74 se tornou uma atração ao público de toda a capital por promover eventos culturais, com shows ao vivo e barzinhos com variação e qualidade de comida e bebida. O intuito era fazer do mercado um ponto turístico em Goiânia. E olha ele na nossa lista aqui.

7. Grande Hotel

Foto de Eugenio Hansen do Grande Hotel.
Foto de Eugenio Hansen do Grande Hotel, no Centro de Goiânia.

O Grande Hotel foi inaugurado em 1937, com 60 quartos, sendo quatro de luxo, alocados em três andares, tendo sido tombado, em 1991, como Patrimônio Histórico de Goiás. Hoje, só resta a fachada de sua construção original. O edifício foi o primeiro a hospedar pessoas que chegavam à capital, como, por exemplo, o antropólogo Claude Lévi-Strauss. Atualmente, o Grande Hotel é sede da Divisão de Patrimônio Histórico da Secretaria de Cultura. (Fonte: Iphan)

8. Rua do Lazer

Foto de Lorena Bossa do Goiânia Palace Hotel, na Rua do Lazer.
Foto de Lorena Bossa do Goiânia Palace Hotel, na Rua do Lazer, Centro de Goiânia.

A Rua do Lazer, oficialmente Rua 8, está localizada no Centro de Goiânia. Aqui só se anda a pé, visto que, em 1977, a rua foi fechada para o trânsito de veículos. Ela é toda requintada, possuindo um conjunto de prédios no estilo Art Déco, sendo um deles o Goiânia Palace Hotel.

A Rua do Lazer possui bancos, postes, tudo num estilo bem parisiense. Ao mesmo passo que possui becos grafitados, oferecendo um ar de modernidade. Na Rua do Lazer é possível sentar para descansar ou andar tranquilamente e encontrar lanchonetes, lojas de produtos naturais, bares e vários outros estabelecimentos. Além disso, por vezes, ela é palco de eventos artísticos e culturais.

E sabe o melhor de tudo!? Estamos na Rua 3, exatamente entre a requintada Rua do Lazer e a Avenida Goiás. Venha conhecer nossos cursos e inicie a construção de seu futuro.

Categorias: Diversos

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.