A nova Placa Mercosul entrou em vigor desde de 2020, mas a obrigatoriedade de substituição não é para todo mundo. Pelo menos, não por enquanto! Em princípio, somente os veículos precisarão realizar a troca da placa, como os novos, os transferidos de municípios, por exemplo. Os demais veículos podem circular com a cinza tão habitual até o final de sua vida útil.

O objetivo da adoção da nova placa é padronizar e facilitar a identificação dos veículos em outros países. Desse modo, ela poderá auxiliar na localização de carros roubados ou clonados, uma vez que a ela possui um código de identificação.

Quer saber mais sobre a nova placa e o que muda com ela? Então, continue a leitura de nosso post!

Itens da nova placa

A Placa de Identificação Veicular (PIV) possui alguns sinais bem diferentes da maioria das antigas, por exemplo:  fundo branco, tarja azul, símbolo do Mercosul, bandeira e a sigla do Brasil. Portanto, o nome da cidade e do estado do veículo não constam mais no novo modelo.

Outra mudança é a introdução de um QR Code, que é possível de ser lido por aparelho celular. Assim, pode-se facilmente ter acesso aos dados do veículo.

Posso trocar a placa mesmo não sendo obrigatório?

Pode. A mudança da placa antiga pela do Mercosul é Voluntária. Caso o proprietário do veículo se interesse pela troca, será necessário realizar a vistoria veicular para efetuar a substituição e emitir o novo Certificado de Registro de Veículo (CRV). Assim, o proprietário deve assumir com os custos exigidos pelos serviços.

Valores

Os valores variam de estado para estado. Em Goiânia, Goiás, conforme, o Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran), o custo máximo é de R$ 120 para carro. Já para motocicletas, o preço máximo de R$52,98.

Para saber o custo na sua região, acesse o site do Departamento de Trânsito do seu estado a fim de obter a informação.

Regras do emplacamento Mercosul

De acordo com a Resolução nº 780/2019 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a nova placa será obrigatória:

  1. Para veículos novos (0 km);
  2. Perda, furto, roubo, bem como dano da placa antiga;
  3. Transferência de município ou estado;
  4. Mudança de categoria do veículo;
  5. Nos casos em que há necessidade de instalar segunda placa traseira.

A adoção da placa Mercosul vai ocorrer em todos os Estados da Federação, mas essa adoção se dará num processo gradual.

Para mais informações, continue navegando em nosso blog e nos siga nas nossas redes sociais. E se você é apaixonado por esse tema, veja nosso curso sobre Planejamento e Gestão em Trânsito em nosso site ou fale com um de nossos atendentes.

Categorias: Diversos

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.