Quem sonha em seguir na vida acadêmica, provavelmente, já está familiarizado com livros, citações, aulas e artigos. No entanto, pesquisar vai além da descoberta de novas tecnologias ou remédios. Aprofundar o conhecimento sobre uma área é essencial para o desenvolvimento profissional.

Mas o que é uma pesquisa acadêmica e que passos seguir para fazer uma pesquisa bem feita?

O que é pesquisa acadêmica?

Enquanto a pesquisa científica experimental busca descobrir tecnologias e vacinas, por exemplo, a pesquisa acadêmica visa o aprofundamento de algum assunto. E vale citar que para fazer aquela, deve-se, sobretudo, passar por esta anteriormente. O objetivo inicial é que estudantes e professores explorem o universo da academia.

A partir de estudos como esses, além de inúmeras e importantes teorias, novas ideias científicas podem surgir.

Para construir uma pesquisa sólida e válida é essencial seguir alguns passos. Falaremos melhor sobre cada um deles a seguir:

1) Escolher o tema de pesquisa:

Essa talvez seja a parte mais difícil de uma pesquisa acadêmica. Existem diversas opções e caminhos para seguir. O importante, então, é pensar em um tema que gere motivação. Afinal, um assunto que desperte o interesse é mais satisfatório de se trabalhar.

É fundamental não confundir a escolha do tema com o problema de pesquisa. O tema é mais geral, aberto a várias possibilidades e áreas de conhecimento.

2) Definir o problema de pesquisa:

Como falamos, essa fase é mais específica do que a escolha do tema. Esse é o momento de definir qual será a sua questão. Afinal, fazer pesquisa é correr atrás de respostas e soluções para um problema.

Pense, portanto, em perguntas que contribuirão para o meio acadêmico. Nessa fase, muitas ideias não são aceitas, por não terem valor para a academia. Procure enxergar em que a resposta para sua questão ajudaria o avanço de futuras pesquisas na área, por exemplo.

No universo da metodologia (outro passo, que explicaremos mais adiante), o problema é um objeto de discussão, uma questão ainda não resolvida. E que merece atenção e investigação.

Assim, podemos dizer que dentro de um tema existem várias possibilidades de problema de pesquisa. Logo, esse último será (quando definido) o norte do trabalho.

3) Escolha da metodologia:

A metodologia também existe em campos muito distantes da pesquisa. Quando queremos fazer alguma receita, precisamos seguir um método. Ou quando queremos montar um móvel, seguimos as instruções à risca. Os métodos são essenciais quando queremos atingir um objetivo.

Por definição, metodologia é o caminho que nos leva a concretização de algo. Na pesquisa, os métodos seguem uma lógica científica. Por isso, bem como a pesquisa científica, a acadêmica também precisa ser realizada a partir de uma metodologia. Sem os métodos, os estudos não passariam de um conjunto de dados confusos e difíceis de analisar.

Para se adequar a cada objetivo de pesquisa e facilitar a investigação e análise, a metodologia se divide em algumas vertentes.

A primeira é a Quantitativa. Seguindo esse caminho, números, dados, gráficos e tabelas sustentam por si só o argumento da pesquisa. A segunda é a Qualitativa, em que a interpretação e a subjetividade do pesquisador são importantes na exposição e na análise dos resultados. Existe, além disso, o método Quanti-Quali, em que há uma combinação das duas vertentes.

Ainda sobre métodos e caminhos, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) prevê que trabalhos e pesquisas sejam todos escritos de forma padronizada. Logo, esse é outro ponto que merece a atenção do pesquisador, por mais que não seja uma metodologia em si.

4) Construir um bom referencial teórico:

Provavelmente, alguém já estudou sobre isso que você quer fazer. Alguém já pesquisou sobre algum tópico do recorte de sua temática ou a sua própria pesquisa é uma atualização de algum objeto de estudo anterior seu ou de outra pessoa. O que importa é que há muita pesquisa pelo mundo todo.

Logo, ou os estudos anteriores serão a base da sua investigação ou você se posicionará com base no trabalho de outra pessoa. Nessa fase, é muito importante ficar atento aos possíveis erros e, até mesmo, ao plágio.

Outro cuidado essencial é somente procurar a sua revisão bibliográfica quando os passos anteriores forem bem definidos. Caso contrário, é bastante possível que você leia muito material completamente desnecessário para a sua pesquisa.

Ou pior: quanto mais leitura fizer, maior poderá ser o seu interesse por milhões de temas. Isso dificultaria ainda mais a escolha do assunto e do problema de pesquisa.

Dessa forma, faça fichamentos dos autores essenciais para a sua pesquisa. E não se esqueça de anotar o nome, data de publicação e outros dados pedidos pela norma ABNT.

Uma boa pesquisa deve ter apenas dados científicos. Assim, fuja de opiniões e sites como blogs, por exemplo. Eles podem até ter bons conteúdos, mas dificilmente serão científicos.

Os principais locais para encontrar dados confiáveis e científicos para a sua pesquisa são em documentos, artigos e livros.

5) Redação da pesquisa:

Se você chegou até aqui, então a parte mais difícil e mais cheia de dúvidas já passou. Agora é a hora de colocar no papel tudo aquilo que foi decidido lá no início, como seu tema, problema e metodologia.

As informações recolhidas durante a pesquisa em documentos, livros, artigos, entrevistas serão, agora, organizadas.

Todo trabalho acadêmico apresenta uma divisão de elementos: os pré-textuais, os textuais e os pós-textuais. Os primeiros são capa e a folha de rosto, por exemplo. Bem como um agradecimento, se for possível.

Já o elemento textual é dividido em:

– Introdução: essa é a parte em que fica a contextualização do tema, assim como a explicação de sua relevância para os tempos atuais, e a justificativa, para realizar a pesquisa.

– Desenvolvimento: como explicamos, esse é o momento de expor todos dos dados recolhidos durante a pesquisa, com o apoio das fontes teóricas. A metodologia escolhida para o andamento da pesquisa é exposta nessa fase.

– Considerações Finais: é a parte em que ficará a análise dos dados e a resposta para a pergunta pensada no início de todo processo.

Os elementos pós-textuais são, normalmente, os anexos e as referências bibliográficas organizadas nos conceitos da norma ABNT

6) Revisão:

Por fim, o último passo para a construção de uma pesquisa acadêmica sólida é a revisão. O objetivo é detectar problemas na argumentação ou partes incoerentes para consertar enquanto há tempo. Além disso, é hora de ficar de olho nos erros de português que aparecerem pelo caminho.

Se interessou pelo mundo acadêmico? Então, entre no nosso site e conheça os nossos cursos.

Categorias: Educação

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.