Hoje, 17 de novembro, é o dia Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. A data deu origem ao movimento internacional conhecido como Novembro Azul. Afinal, os homens também precisam cuidar da saúde!

Saímos do outubro rosa, mês em que ocorre o movimento pela mobilização e conscientização acerca do câncer de mama, e entramos no mês de novembro, em que é a vez de conscientizar os homens sobre a prevenção e o diagnóstico precoce das doenças que os atingem. Mais especificamente, o câncer de próstata.

No Brasil, conforme Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é o segundo mais comum tipo de câncer entre os homens, sendo ainda a segunda principal causa de morte entre essa população. Todo ano, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), aproximadamente 1.000 homens têm o pênis amputado de modo parcial ou total devido a doença, sendo que a cada 36 homens que a doença atinge, 1 falece. Entretanto, se detectado de modo precoce, a doença pode ser tratada de modo não tão invasivo, e o paciente obtém, ainda, mais chances de recuperação.

Como surgiu o Novembro Azul

O Novembro Azul surgiu em Melbourne, na Austrália, no ano de 2003, quando Travis Garone e Luke Slattery pensaram se ficariam bem de bigode, o qual estava fora de moda. Enquanto isso, a mãe de um de seus colegas levantava fundos para o novembro rosa, ou seja, para o combate ao câncer de mama.

Desse modo, Travis e Luke passaram a pensar nesse movimento sob a perspectiva masculina e decidiram associar o bigode, fora de moda, a essa causa. Assim, devido ao dia 17 de novembro, que já era o Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata, os dois escolheram este mês para deixar o bigode crescer e tratar das questões de saúde masculina.

Vários dos amigos de Travis e Luke aderiram à campanha, que divulgava a importância sobre o combate ao câncer de próstata associado ao incentivo de que os homens deixassem seu bigode. Assim como o bigode estava fora de moda, o cuidado masculino com a própria saúde também. Apropriar-se desse bigode seria apropriar-se de seu corpo e sua saúde. A campanha ficou mais forte, conforme o passar do tempo, espalhando-se para mais de 20 países.

Novembro, estigma e causa

Não se sabe exatamente a causa dos cânceres de próstata. Mas alguns pesquisadores já conseguiram traçar fatores de risco para a doença. Os cânceres podem ser causados por alterações do DNA que se transformam em genes que promovem a divisão celular. As alterações podem ser hereditárias ou adquiridas.

As mutações genéticas hereditárias representam uma pequena parcela dos cânceres de próstata. Alguns exemplos delas são: os genes BRCA1 e BRCA2, bem como CHEK2, ATM, PALB2 e RAD51D. Enquanto, as mutações genéticas adquiridas parecem ter mais consistência na causa do câncer de próstata. Essas mutações genéticas ocorrem durante a vida de uma pessoa, devido à hábitos e comportamentos, por exemplo, não sendo transmitidas de geração em geração.

O aumento das taxas de determinados hormônios pode estar associado ao câncer de próstata. Níveis elevados de andrógenos (hormônios masculinos) promovem o crescimento celular da próstata e podem contribuir para o risco desse câncer em alguns homens. A própria inflamação da próstata pode contribuir para este tipo câncer, assim como exposição às radiações ou substâncias cancerígenas, por exemplo.

Outra grande causa do câncer de próstata deve-se ao tabu social acerca do método que leva ao diagnóstico da doença, o toque retal. Por preconceito e machismo, muitos homens fogem do exame durante anos, o que leva à piora do quadro, se a doença estiver já instalada. Assim, há o avanço da doença, podendo chegar a morte. Por isso, um dos principais objetivos do Novembro Azul é desconstruir esses tabus que rondam a população masculina, por meio da conscientização.

Sintomas do câncer de próstata

O câncer de próstata não apresenta sintomas em sua fase inicial, mas na fase avançada da doença sim. Por isso, a importância do novembro azul, bem como do exame de toque retal e da troca de informações com seu médico, caso algum sintoma da doença aparece. Conforme o Ministério da Saúde, cerca de 95% dos tumores estão em fase avançada, quando sinais e sintomas aparecem, sendo eles:

  • dores ao urinar;
  • Aumento na frequência urinária, principalmente, à noite (Nictúria);
  • Diminuição ou interrupção do jato de urina;
  • dor óssea, como no quadril, nas costas, nas coxas, nos ombros;
  • presença de sangue na urina e/ou no sêmen;
  • Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés;
  • Disfunção erétil.

Outros fatores de risco

A idade é um fator importante a se considerar nos casos de câncer de próstata. Homens acima dos 45 anos devem ir ao urologista anualmente. O histórico familiar positivo é outro fator fortemente pertinente nos históricos de câncer de próstata. A chance de desenvolver a doença é ainda maior quando se tem algum caso da doença na família. A raça, assim como a dieta, o sobrepeso, o abuso de álcool e tabaco, doenças sexualmente transmissíveis, a feitura de vasectomia são outros fatores importantes que podem aumentar significativamente a chance de se desenvolver a doença.

Nós da Faculdade Sensu buscamos compartilhar informação e conhecimento, assim como desejamos preservar a vida. Se você compartilha desse ideal, venha nos conhecer! Aproveite e navegue pelo nosso blog para mais informações importantes.

Categorias: Diversos

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.