O Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, retrata a importância da mulher na sociedade e a história das lutas pelos seus direitos.

Durante o mês de março, muitas instituições promovem conferências e palestras sobre à igualdade de gênero e a violência contra a mulher. Nesses eventos, os temas em destaque são suas conquistas, histórias de lutas, feminismo, assim como a lida com o mercado de trabalho.

Mas você conhece a verdadeira história que dá origem ao Dia Internacional da Mulher?

Origem da data

Ao falar sobre o Dia Internacional da Mulher, muita gente associa a ele as greve das mulheres que trabalhavam em uma tecelagem em Nova York, a Triangle Shirtwaist Company e ao incêndio que ocorreu na própria tecelagem, em 1911. Mas, essa greve é um mito. Os incidentes aconteceram, em épocas distintas, com causas distintas.

O Dia da Mulher, de fato, nasceu com a Revolução Russa. Regada de produção literária, manifestações e reivindicações feministas, operárias buscavam melhores condições de trabalho.

O grande ato das mulheres, que marcou a data, ocorreu em 8 de março de 1917, quando um grupo de operárias das fábricas manifestaram por melhores condições trabalhistas. Elas lutavam contra a fome enfrentada durante o período da Primeira Grande Guerra e demonstraram seu descontentamento com as ações do Imperador Russo Czar Nicolau II. Este episódio é conhecido como “Pão e Paz”.

Por que as mulheres criaram os movimentos femininos na época?

As manifestações buscavam alertar o governo sobre as condições insalubres de trabalho. Buscando, desse modo, melhoria nas jornadas dentro das fábricas.

Por meio das manifestações, as mulheres buscavam melhoria das longas jornadas de trabalho com salários baixos. Além disso, elas também queriam ter o direito de escolher quem governaria o seu país, pedindo o direito ao voto.

Desde então, o dia 8 de março passou a ser considerado um dia de luta das mulheres por melhores condições de vida, de trabalho e aceitação. Por conta disso, milhares de manifestações femininas passaram a ocorrer em outros locais, como Estados Unidos e Europa.

Após esses episódios de manifestações e reivindicações, a luta das mulheres não findou, apesar de terem ganhado um dia em sua homenagem, foi a partir destes episódios que as lutas femininas começaram a ganhar força.

As mulheres passaram a reivindicar cada vez mais seu direito de trabalhar e ganhar um salário compatível, já que até então, elas, que trabalhavam, passavam até 14 horas dentro das fábricas e ganhavam apenas 10 dólares por semana.

Com a ascensão da modernidade, as mulheres conquistam cada vez mais seus direitos. Elas alcançaram o direito ao voto e mostram, todos os dias, que podem ser muito mais do que meras donas de casa. Contudo, suas lutas são uma constante.

“Quer estudar e conquistar cada vez mais o mercado de trabalho? Então acesse e conheça nossos cursos.

Quais foram as principais conquistas das mulheres na história mundial?

Muita gente acredite que a busca pelos direitos femininos se resume às jornadas de trabalho e ao direito de escolher um representante de governo. Mas, as mulheres fizeram muito mais do que isso.

Em 1972, as mulheres exigiam seus direitos. Defendendo a educação para meninas, Mary Wollstonecraft escreveu A Vindication of the Rights of Woman. Além disso, neste mesmo ano, elas passaram a pedir o direito ao voto na Inglaterra.

Em 1827, o Brasil conquistou sua primeira lei sobre educação para as mulheres. No entanto, a lei proibia o acesso às escolas. Contudo, alguns anos depois, em meados de 1879, as brasileiras conquistaram seu direito a cursar uma universidade.

Em 1911, a fábrica têxtil em Nova York pegou fogo. Cerca de 130 mulheres foram carbonizadas, gerando ainda mais manifestações com a finalidade de reivindicar melhorias nas condições e jornadas de trabalho.

Por volta de 1918, um ano após das manifestações de “Pão e Paz”, na Rússia, as inglesas conquistaram seu direito ao voto. Em 1932, esse direito também chegou ao Brasil.

Mas, uma das maiores conquistas para as feministas ocorreu em 1945: a Carta das Nações Unidas! O documento reconheceu os direitos igualitários entre homens e mulheres. É claro que, na prática, não foi exatamente assim: direitos iguais. E, por isso, elas precisaram continuar com suas lutas diárias para alcançar ainda mais seus objetivos.

Mobilização por direitos

Uma das principais conquistas femininas também foi o direito de não engravidar, quando em 1960 as mulheres conquistaram a criação da pílula anticoncepcional. Marco que deu início a liberação feminina.

Mesmo assim, até 2006, muitas mulheres ainda sofriam com a violência e com abusos. Foi, então, sancionada a Lei Maria da Penha, para reconhecer e combater a violência doméstica. Seguida dela, em 2015, com a Lei do Feminicídio, assassinatos de mulheres pela razão de a vítima ser mulher se tornaram um crime hediondo.

As conquistas das mulheres são imensas, no decorrer dos anos. Contudo, ainda há muito a se fazer quando se fala do Dia Internacional da Mulher.

08 de março

Assim, a data 8 de março é o Dia da Mulher devido à referência a manifestação das mulheres na Rússia. Neste dia, foi quando ocorreu a grande mobilização das mulheres para lutar cada vez mais por seus direitos.

A briga por salários igualitários, por direitos iguais, pelo reconhecimento dos corpos continua uma constante na vida das mulheres. O reconhecimento e a liderança no mercado de trabalho também são reivindicações frequentes para as mulheres.

E é graças aos direitos conquistados que as mulheres têm o direito a cursar uma graduação, por exemplo. Além disso, elas têm apostado mais em cursos de especialização e capacitação profissional, dominando o mercado de trabalho. Tudo isso para se empoderarem e para conquistar ainda mais os seus direitos dentro do mercado de trabalho.

“Quer saber mais sobre este e outros assuntos e crescer cada vez mais profissionalmente? Então acesse e conquiste seu lugar no mercado de trabalho.

Categorias: Diversos

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.