A vida de um estudante se define por um ambiente estressante, com altas expectativas tanto da família quanto dos professores e dos próprios colegas quanto a seu desempenho. Toda essa pressão faz esse período ser um desafio, e esse é um assunto que precisa ser melhor discutido.

A vida acadêmica traz medos, estresses e incertezas. E embora isso seja um senso comum, não há muitos estudos que avaliem quando isso acontece. O que se sabe, no entanto, é que essa é uma experiência usual entre os discentes.

Essa é uma reação do organismo quando ele é confrontado com situações em que precisa fazer um esforço além do seu limite. Assim, o resultado é que isso afeta a sensação de bem-estar, a qualidade de vida e a saúde.

O estresse é uma experiência de tensão e irritação em que o corpo reage ao medo, à excitação ou à confusão, por exemplo. De acordo com um estudo realizado com estudantes de medicina, percebeu-se que eles apresentavam insegurança, baixa autoestima, outros sinais de estresse e, até mesmo, transtornos de ansiedade.

Isso acontece porque todas as regiões do corpo humano são influenciadas pelo que acontece na mente. Portanto, o estresse é somatizado em uma série de sintomas físicos, aumentando a predisposição a doenças.

As quatro fases do estresse

Segundo os pesquisadores Lipp e Lewis, o estresse possui quatro fases:

  1. Fase de alerta: o corpo produz adrenalina, o que prejudica o sono, aumenta a tensão muscular e pode causar uma série de outros sintomas, como taquicardia e irritabilidade;
  2. Resistência: o corpo aumenta sua resistência ao estresse. A pessoa passa a ter cansaço, sem relação com o tempo de sono, e a apresentar excesso de preocupação e dificuldade de ter novas ideias;
  3. Quase exaustão: o estresse causa insônia, perda de libido, queda de criatividade e produtividade, mais cansaço, ansiedade, dentre outros sintomas;
  4. Exaustão: sensação de consumo total de energia e insônia, perda de interesse pelo trabalho, desgaste e cansaço intenso e apatia.

Esses estágios ocorrem no dia-a-dia na vida de muitos estudantes, diante das jornadas extensas e cansativas somadas a outros afazeres. E isso pode causar ainda a vontade de abandonar o curso.

Por que os estudantes ficam tão estressados?

O estresse em estudantes está relacionado a uma série de fatores: atividades obrigatórias, carga de trabalho, cuidados com o lar e mais toda a carga social da faculdade, e vários outros.

Há uma expectativa em torno de um bom desempenho, atender a demanda dos professores, orgulhar a família e se destacar no mercado de trabalho. Além disso, para muitos estudantes a faculdade ocorre na transição da adolescência para a vida adulta, estando ligada ao desenvolvimento humano.

Sinais e sintomas

Prestar atenção aos sinais do corpo de que o estresse está se tornando um problema é importante. Quando começa a vontade de não fazer nada e só ficar na cama e isso permanece, pode ser um sinal de que seu corpo está pedindo ajuda.

Alguns sintomas de estresse são:

  • Sensação de mal-estar sem causa específica;
  • Cansaço físico constante;
  • Mudança no apetite;
  • Dores de cabeça;
  • Gastrite;
  • Irritabilidade;
  • Sensibilidade emocional excessiva;
  • Duvidar, em excesso, de si;
  • Vontade de fugir de tudo.

O estudante enfrenta um momento em que precisa assumir uma série de funções, conciliando suas obrigações a uma demanda excessiva. Assim sendo, o melhor que se tem a fazer é ser gentil consigo mesmo, não se isolar e buscar ajuda.

Como lidar com o estresse?

Há alguns hábitos que o estudante pode desenvolver para lidar com o estresse. A primeira dica é tentar ter uma alimentação saudável e a boas horas de sono. No entanto, sabemos que ser estudante muitas vezes significa passar parte da noite fazendo trabalhos ou estudando para uma prova.

Por isso, tentar criar uma rotina de exercícios ou mesmo meditar pode ser uma forma de trazer resultados positivos para o organismo. Ainda mais, se juntar a isso o sem o excesso de lanches práticos e rápidos.

A vida de um estudante pode ser muito caótica, porém, é por isso que buscar manter organização é essencial. Esse é um modo de lidar com todas as tarefas sem se sentir sobrecarregado.

Veja uma lista de aplicativos que podem te ajudar a lidar com o estresse:

  1. ZEN – Meditações e Reflexões: aplicativo para o estudante que precisa parar, meditar e se desconectar um pouco dos motivos de estresse. Esse aplicativo tem diversas funções interessantes, como, por exemplo, meditação, músicas para dormir e atividades para reduzir ansiedade e estresse.
  2. Trello: um excelente aliado na hora de organizar as tarefas e evitar o estresse de deixar coisas para a última hora, o Trello oferece diversos post-its que podem ser movidos e, assim, organizados conforme a sua agenda. Você também pode fazer listas e enviá-las para contatos.
  3. Productivity Challenge Timer: para o estudante que está estressado porque não consegue focar, esse aplicativo é baseado na técnica Pomodoro. Ele vai ajudar você a focar nos estudos e também a otimizar o uso do seu tempo.
  4. Spotify: o que desestressa mais do que ouvir música? Ela pode ser ótima para relaxar enquanto realiza suas atividades. Por isso, com o Spotify, o estudante pode criar playlists para todos os momentos.

Faculdade

O estresse faz parte da vida e é uma forma do corpo dizer que está sendo sobrecarregado. Com a pandemia de covid-19, mais do que nunca estudantes se sentem ansiosos, deprimidos e estressados.

No entanto, a faculdade é um abrir de portas para novas possibilidades, para o mercado de trabalho e, assim, para alcançar uma melhor qualidade de vida. Então, lembre-se: esse período de desafios tem grandes recompensas.

Então, se você está pronto para essa nova etapa da sua vida, fique por dentro dos nossos cursos de graduação, pós-graduação e extensão acadêmica. Visite nosso site!


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.