17 de julho, é o Dia de Proteção a Floresta! Data tem por objetivo de conscientização das pessoas sobre a importância da preservação das florestas, lar de inúmeras espécies de animais e plantas, para a qualidade de vida da humanidade. Para refletir sobre a data trouxemos algumas indicações de filmes e documentários sobre o tema. Então, aproveite o final de semana para maratonar!

Crude 

Vamos começar nossa lista com um documentário! Ele narra a luta de uma tribo equatoriana por justiça para escapar dos danos que as atividades da gigante petrolífera Chevron. Ao longo das décadas causaram à terra e ao modo de vida de seus ancestrais. 

Não é sobre as consequências indesejadas do uso de petróleo, em vez disso, ele enfatiza o terrível e não reconhecido custo de extrair petróleo na amazônia. Isso é feito por meio da história épica de um dos processos judiciais mais controversos do planeta. 

Um olhar nos bastidores do infame caso “amazon chernobyl”, que envolveu 27 bilhões de dólares, mostrando um drama real de alto risco envolvendo movimentos ambientais, políticas globais, ativismo de celebridades, defesa dos direitos humanos, a mídia, o poder das multinacionais e o rápido desaparecimento de culturas indígenas. 

Apresentando uma situação complexa a partir de múltiplos pontos de vista. ao mesmo tempo em que exibe uma importante história de perigo ambiental e de sofrimento humano. falando sobre a luta de uma tribo equatoriana para obter justiça e conseguir escapar do dano, que décadas de atividades da gigante do petróleo chevron, causou em suas terras ancestrais e seu modo de vida.

Sob a Pata do Boi

Dirigido por Marcio Isensee e Sá, “Sob a Pata do Boi” é um documentário brasileiro de média-metragem que mostra o impacto da pecuária no desmatamento da Amazônia. De acordo com informações do filme, a Amazônia tem pelo menos 85 milhões de cabeças de gado, três para cada habitante humano. Entre alguns temas abordados pelo documentário estão “o boi clandestino”, “invasão biológica”, “indústria da carne” e “bancada ruralista”.

A obra informa que na década de 1970 a floresta estava intacta e a quantidade de gado equivalia a um décimo do rebanho da atualidade. Hoje encontramos uma área que pode ser comparada à extensão territorial da França desmatada. Desse total, 66% foi transformada em pasto.

“Sob a Pata do Boi” revela que essa transformação no cenário amazônico foi incentivada por políticos que motivaram a chegada de milhares de fazendeiros de outras partes do país. “A pecuária tornou-se bandeira econômica e cultural da Amazônia, no processo, elegendo poderosos políticos para defender a atividade”, denuncia.

Mesmo com o Ministério Público “obrigando” os grandes frigoríficos da região a se tornarem responsáveis por monitorar as fazendas fornecedoras de gado, e não comprar daquelas que têm desmatamento ilegal, mas, isso não significa que hoje a realidade seja auspiciosa.

O documentário é resultado de um trabalho de jornalismo investigativo que completou dois anos, e que tem como eixo norteador as reportagens: “O procurador que lançou o desmatamento”, “Guerra e paz por trás de um bife”, “Os portões do desmatamento”, “Boi clandestino não morre de velho”, “O drible do gado: a parte invisível da cadeia da pecuária” e “Origem desconhecida”. 

Amazônia Eterna

O documentário “Amazônia Eterna” apresenta uma nova abordagem sobre o uso sustentável da Floresta Amazônica, expondo grandes equívocos e aponta possíveis caminhos para que a humanidade passe a enxergar a maior floresta tropical do mundo em suas várias camadas: social, política e econômica. Porque sim, nós podemos traduzir o valor da floresta em cifras, mas não sem ignorar sua manutenção e equilíbrio. 

A floresta deve ser sustentável enquanto ecossistema e, principalmente, enquanto negócio. No filme, esta equação desafiadora é discutida por empresários, políticos, ambientalistas, economistas e populações indígenas e ribeirinhas – estes últimos os guardiões de modelos milenares de exploração da floresta sem impactos ambientais, herdeiros da generosidade da natureza, mas excluídos das estatísticas e políticas públicas básicas. O filme apresenta nove experiências bem-sucedidas que comprovam que é possível que a Amazônia se desenvolva economicamente sem que seu ecossistema seja afetado.

Xingu

Os irmãos Orlando, Cláudio e Leonardo Villas-Bôas resolvem trocar o conforto da vida na cidade grande pela aventura de viver nas matas, alistam-se na expedição Roncador-Xingu e partem numa missão desbravadora pelo Brasil Central, incentivado pelo governo. Logo os irmãos se tornam chefes da expedição e se envolvem na defesa dos índios e de sua cultura. 

Numa viagem sem paralelo na história, os irmãos Villas-Bôas conseguem fundar o Parque Nacional do Xingu, um parque ecológico e reserva indígena que, na época, era o maior do mundo, do tamanho de um país como a Bélgica.

Ao recontar a saga dos irmãos, vamos acompanhar essa grande luta pela criação do parque e pela salvação de tribos inteiras que transformaram os Villas-Bôas em heróis brasileiros.

Uma verdade Inconveniente 

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore apresenta uma análise da questão do aquecimento global, mostrando os mitos e equívocos existentes em torno do tema e também possíveis saídas para que o planeta não passe por uma catástrofe climática nas próximas décadas.

O filme apresenta gráficos que abordam as mudanças climáticas na terra. O documentário, Uma Verdade Inconveniente, mostra que, segundo estudos científicos, a menos que diminuam as emissões de dióxido de carbono (CO2) e outros gases, o aquecimento global causará uma mudança climática que acabará com a vida como a conhecemos.

O filme apresenta dados estatísticos que comprovam que calotas polares estão derretendo, o nível dos oceanos está subindo e o clima vem apresentando mudanças drásticas. Isso tudo resulta em fenômenos como furacões, enchentes, seca, praga de insetos e epidemias.

Cowspiracy: O Segredo da Sustentabilidade

A pecuária pode ser considerada uma das indústrias mais destrutivas do planeta. Ela é responsável pela emissão de mais gases que causam o efeito estufa do que a indústria de transportes e gera intensa destruição dos recursos naturais do solo. O documentário mostra a descoberta das verdades sobre a pecuária e o medo das organizações ambientais em falar sobre o assunto.

É um documentário produzido e dirigido por Kip Andersen e Keegan Kunh. Conta com a produção executiva do ilustre Leonardo DiCaprio. “Cowspiracy” narra a jornada de Andersen, que descobre por um estudo da ONU que a maior parte dos impactos prejudiciais ao meio ambiente tem como causa mais significativa a atividade pecuária. Ao consultar os principais órgãos de defesa ambiental, inclusive os governamentais, e descobrir que nenhum deles aborda o fato, Andersen se sentiu como numa trama conspiracionista, onde apenas ele parecia saber a verdade.

O documentário se dedica a apresentar gravíssimos números relacionados à indústria pecuária, como seu uso de 55% de toda água dos EUA comparado aos 5% do uso doméstico. E abordadas consequências diretas da criação de animais para consumo, como a emissão de gases estufa (em maior quantidade anual do que a queima de combustíveis fósseis), o desflorestamento, a contaminação de corpos d’água por nitrogênio e a extinção em massa de espécies marinhas.

Esse é um filme provocador, chocante e instigante; apresenta problemas que possuem uma causa única e argumenta por soluções que convergem igualmente para uma atitude unívoca – assisti-lo é um exercício informativo, intelectual e crítico (aliás, o documentário em si é passível de críticas). 

Se você gostou desse conteúdo e quer ler mais dicas acesse nosso blog e conheça também nosso site e nossas várias opções de cursos.

Categorias: Diversos

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.