É difícil não associar uma carreira de sucesso com uma boa remuneração e estabilidade financeira. E, por esse motivo, uma das ocupações mais cobiçadas é a de funcionário (ou servidor) público, tendo em vista os benefícios da profissão.

Um funcionário público é aquele que atua em órgãos da Administração Pública. Ele pode estar inserido numa esfera federal, estadual ou municipal, ou seja, locais como prefeituras, tribunais e assembleias, por exemplo.

São muitos os atrativos da carreira versus a iniciativa privada! Entre eles:

Estabilidade:

O fato de não ser demitido de um dia para o outro é atrativo para a maioria das pessoas. Na carreira pública, o servidor, por exemplo, que ingressou por meio de concurso tem estabilidade após três anos de estágio probatório. Mas não se engane, os servidores públicos estão sujeitos a processos administrativos em caso de improbidade. Vide a Lei. 8.429/92.

Assim, não é pelo fato de se tornar um funcionário público que você estará livre de sanções. Mas, o funcionário público está, inclusive, sujeito a sanções que podem levar à exoneração – perda do cargo. Isso acontece em casos graves, mas que lhe cabem a chance de recursos e direito à ampla defesa.

Salários maiores:

Além disso, contar com uma renda estável também permite fazer melhores planos financeiros, tendo em vista que os salários iniciais de cargos públicos são superiores aos pagos em iniciativas privadas.

Outro ponto é que existem muitos casos de falta de igualdade de gênero em repartições privadas, de modo que mulheres muitas vezes chegam a receber salários menores do que homens. Na carreira pública, por outro lado, não existe essa distinção salarial. Ambos recebem de acordo com o cargo.

Benefícios e direitos próprios da carreira pública

Além da chance de salários maiores, existem, ainda, acréscimos conforme o cargo em questão, como bônus, adicionais por tempo de serviço (ou seja, um percentual sobre o salário de acordo com o número de anos trabalhados), bem como gratificações.

Em alguns casos, é possível ainda que o servidor ou a servidora adquira licença remunerada para cuidados de saúde, gravidez e até assuntos particulares. Tais benefícios incluem afastamento de três a cada cinco anos trabalhados – para realizar cursos de reciclagem, licença-, além de prêmio, abono de faltas, entre outros.

Ascensão profissional

Tal como na iniciativa privada, os funcionários públicos têm a chance de desfrutar de promoção de cargos por tempo de serviço. A diferença, entretanto, é que no âmbito público isso se dá de modo indubitável. Em muitos casos, investir na própria formação (no caso de pós-graduações lato e strictu sensu, cursos e afins) é uma gratificação salarial, independente de mudança de cargo.

Estas progressões na carreira do servidor, nas quais é possível passar de uma categoria de classe para outra, por meio de promoções, dependem de alguns fatores. Entre eles: cumprimento do período de estágio probatório, avaliação de desempenho e apuração de mérito ao longo de seus anos de serviço.

Aposentadoria

Funcionários públicos têm seu próprio sistema de aposentadoria, apesar de algumas regras variarem em âmbitos federal, estadual e municipal. Neste caso, o regime de previdência adotado não é o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). De acordo com emendas constitucionais, alguns funcionários se aposentam com salário integral e possuem, inclusive, reajustes, igual aos de servidores ainda em atividade.

Para tal, o servidor deve cumprir requisitos, tais como idade mínima, tempo de retribuição e tempo mínimo de exercício em cargo público. Vale dizer, entretanto, que com a Reforma da Previdência, algumas mudanças foram feitas.

A ocupação em tais cargos depende de concurso público, um processo seletivo que tem por objetivo o ingresso em cargos públicos. A ampla concorrência, bem como a grande quantidade de material de estudo e possíveis fracassos no caminho são os fatores que mais assustam possíveis concurseiros.

Para evitar frustrações, siga os seguintes passos:

1. Escolha a área desejada

Ganhar bem e se sentir estável é muito bom! Mas não adianta atirar para todos os lados, tá? Antes de cogitar sua inscrição, o candidato deve pensar em duas coisas: por qual tipo de instituição ele se interessa e qual cargo lhe traz mais afinidade. Isso por que existem diversos tipos de cargos que, por sua vez, implicam o estudo em áreas específicas. Não adianta, por exemplo, você ser formado(a) em Administração e mirar uma carreira de Promotor(a) de Justiça. Neste caso, antes você deve cursar Direito.

Outro ponto é que de nada adianta que o concurseiro perca, além de seu tempo, dinheiro com provas que nada tem a ver com seu perfil.

2. Fique sempre de olho nos editais

Ah, os famosos editais. Temidos por muitos e citados por outros, é por meio deles que você se situará quanto ao volume de vagas e ao conteúdo para seus estudos. Além disso, você pode ir atrás de provas e gabaritos de outros concursos.

Na internet, há vários bancos de questões em sites ou até pelo próprio site da instituição desejada. Diversas provas são postas para consulta pública. A partir daí, você pode ter, então, uma melhor noção do que sempre é cobrado, traçando padrões das bancas examinadoras, resolvendo questões.

3. Trace uma estratégia de estudos

Você precisa organizar suas prioridades, planejar seu tempo livre de estudo de acordo com sua rotina. Quantas horas por dia você tem para estudar? É possível conciliar trabalho com estudos? Quais livros e materiais você deve comprar ou baixar?

Essas respostas dependem de referências, ou seja, de outros concurseiros que passaram ou ainda passam pela mesma situação. Ademais, existem fóruns on-line em que alunos e professores discutem sobre o assunto.

Outro ponto é fazer um curso. Vale dizer ainda que a maioria dos candidatos que possuem ótimos resultados, além do estudo em casa, conta também com aulas em cursinhos preparatórios para concursos. Em outros casos, cursar uma faculdade também pode lhe abrir portas para certos cargos públicos. Assim, ao fazer essa escolha, você poderá organizar melhor seu tempo e investir em disciplinas típicas de concurso, tendo acesso a simulados e provas preparatórias.

Gostou do artigo!? Então, compartilhe com seus amigos concurseiros. Para mais dicas, continue em nosso blog e para saber sobre nossos cursos, visite nosso site!


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.